Os livros mais inspiradores que li em 2019

A esta altura já deve estar farto de ler sobre resoluções de Ano Novo, sobre balanços, sucessos, falhanços e expectativas, sobre o que os outros fizeram ou deixaram de fazer. Eu hoje não vou falar disso.

Os livros e o crescimento

Hoje quero partilhar aqui os melhores livros que li este ano porque, neste período, a leitura foi para mim uma muito procurada e enorme força motriz. Sempre gostei de ler, mas a maior parte da minha vida apenas li ficção (muita literatura) numa vertente mais lúdica do que formativa; no entanto, na última década essa escolha inverteu-se.

Alguns anos atrás, quando decidi trabalhar por conta própria, comecei a ler avidamente livros de auto-ajuda (escolhidos com minúcia), com os quais desfrutei e cresci. De forma orgânica, eles próprios foram indicando-me o caminho para outras grandes obras, trazendo um crescimento associado e esperado. Hoje já não vivo sem ter um livro começado, porque já se tornou um hábito em mim e porque sinto que, se de facto conseguirmos aplicar aquilo que lemos, a leitura tem um potencial de transformação enorme — dos maiores que existem a seguir à experiência.

Língua e formato

Gosto de ler, sempre que possível, na língua original. Embora trabalhe como tradutora e tenha traduzido vários projetos editoriais, não dispenso a pureza de uma obra tal e como foi escrita. Este ano calhou ler quase tudo em inglês.

Uso maioritariamente o Kindle, esse maravilhoso aparelho que oferece possibilidades que encaixam no meu estilo de vida: tem luz própria, é portátil, os livros ficam económicos e não ocupam espaço.

Objetivos

Os meus objetivos aquando a escolha destas leituras foram:

  • Encontrar uma fonte de inspiração pessoal e profissional nos autores e os seus textos.
  • Ganhar foco e coragem para me lançar no mundo dos negócios.
  • Perder o medo ao fracasso —o qual hoje sei claramente que faz parte do caminho!

As escolhas

Deixo aqui a minha lista com uma brevíssima explicação:

1. “The obstacle is the way” de Ryan Holiday. Um livro para ganhar força e embalo, e perder medo a tropeçar. Baseia-se no estoicismo e apresenta inúmeras referências aos pensamentos do Marco Aurélio. Gostei muito!

2. “Mindset” de Carol Dweck. A autora, psicóloga, defende que há dois tipos de mentalidades. Quem escolhe ou é treinado na “mentalidade fixa” vai acabar por travar o seu desenvolvimento algures no tempo, em todos os campos da sua vida. Pelo contrário, quem escolhe ou é treinado numa “mentalidade de crescimento” tem todas as possibilidades de chegar tão longe como quiser.

3. “Tribes” do Seth Godin. Confesso que não adorei este livro, bastava ler um resumo da ideia principal. Basicamente, o autor explica que há uma multidão lá fora à espera de um líder e que não é assim tão difícil criar e manter uma tribo ou comunidade e liderá-la. O texto pareceu-me repetitivo, mas a ideia interessante.

4. “Big magic” da Elizabeth Gilbert. Um livro envolvente e cativante sobre criatividade, inspiração, aceitação das nossas forças e fraquezas, e motivação para explorar todo o nosso potencial. Muitíssimo inspirador, carregado de uma energia muito pessoal. Sou uma fã absoluta da autora!

5. “24 assets”do Daniel Prestley. Dos melhores livros — se não o melhor — sobre empreendedorismo que já li. Ideal para quem sonha fundar ou desenvolver uma empresa a sério, já que autor explica os 24 ativos que, segundo a experiência e observação dele, qualquer empresa deve criar e manter para atingir o sucesso (segundo o tipo de empresa). É uma obra simplesmente brilhante.

6. “Choose yourself” do James Altucher. Este livro foi uma enorme surpresa que custou literalmente 1$. O autor é um norte-americano que já passou por todas as fases dentro do mundo dos negócios (executivo rico, falido na rua, empreendedor cheio de medo, empresário estável…), que conta histórias e dá conselhos práticos numa linguagem muito próxima. Uma obra a considerar vinda uma mente absurdamente criativa que vale a pena seguir.

7. “Habit stacking” do S. J. Scott. Este livro propõe uma técnica engraçada para irmos ao poucos melhorando os nossos hábitos: enlaçar uns após os outros. Metade do livro são listas com demasiada palha ao meu gosto. Eu não consegui desenvolver a técnica proposta mas reconheço-lhe o valor.

8. “The Virtual Assistant Solution” do Michael Hyatt. Um fantástico texto sobre o trabalho e as vantagens da profissão de Assistente Virtual, desde vários pontos de vista. Deu-me grandes dicas para posicionar-me neste mercado.

9. “The Power of Full Engagement de Jim Loehr y Tony Schwartz. Já falei e escrevi este ano diversas vezes sobre o enorme impacto positivo que esta obra teve em mim. Recomendo 100% a toda a gente. Resumidamente trata da máxima “Work hard, play hard” levada ao extremo mais saudável possível. Brilhante!

10. “The One Thing” do Gary Keller. Um livro transformador que mostra como o foco sustentado no tempo é a essência do sucesso, em qualquer área da vida. Parece-me especialmente indicado para pessoas que se sentem perdidas em 1001 tarefas, solicitações e responsabilidades e que sentem que estão a perder as rédeas das suas vidas.

11. “Start with Why” do Simon Sinek. Uma obra fascinante sobre o poder do propósito na vida laboral e em todos os aspetos da nossa vida. Se tivermos sempre presente o porquê das nossas ações, a vida torna-se mais simples e chegamos mais cedo onde queremos chegar. Assumo-me uma grande fã deste pensador!

12. “Na Dúvida, Não Empreenda”, do empresário brasileiro Fábio Rodrigues. Creio que é o único livro que li em Português este ano. Trata-se de uma obra claríssima sobre os erros mais cometidos pelos empreendedores de primeira viagem. Altamente recomendável para quem tem uma ideia de negócio e alguns trocos, e julga que empreender e ter sucesso vai acontecer da noite para o dia e vai ser tudo um mar de rosas.

13. “Atomic Habits” do James Clear. Este título é simplesmente genial porque resume o livro de forma concisa: Hábitos atómicos são micro-hábitos que repetimos milhões de vezes e cujo efeito acumulado possibilita uma energia “atómica” capaz de nos mudar a vida. Excelente escolha!

No entretanto também li mais alguns que não me pareceram extraordinários, alguma literatura e outros livros técnicos, que deixo para outra ocasião.

O porquê

Se reparou, os livros que escolhi têm algo em comum: o apelo a uma atitude de mudança. Quando estamos a empreender, precisamos de coragem, sentimos falta de validação interna e externa, e estamos cheios de dúvidas sobre o nosso negócio e sobre nós próprios.

Desde o meu ponto de vista, ler é aprender com os melhores. É ter a oportunidade de conhecer como outros, que estão à frente de nós, já lidaram com a incerteza e o falhanço (e também os seus opostos), e aprender das palavras deles como se levantaram 1001 vezes, e que hábitos, dicas, truques, gatilhos mentais, comportamentos, atitudes, etc., aprenderam pelo caminho.

Nem sempre apetece ler. Muitas das vezes apetece simplesmente não pensar. Mas acredito que vale sempre a pena o esforço porque, para mim,

cada livro que lemos é uma camada de nutrientes no nosso substrato interior, a qual se vai desenvolvendo e ficando fértil para ajudar no crescimento de algo maior e melhor…

Pelo menos assim espero!

E por ai… que livros vos marcaram em 2019?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *